Conheça os significados culturais da árvore da vida

| |

Ela está em todos os lugares sinalizando um progresso espiritual. Você já deve tê-la visto em tatuagens, pingentes, berloques e estampas.

A árvore da vida é uma simbologia universal existente em quase todas as culturas e religiões. A ela se liga ideais de fertilidade, cura, abundância e imortalidade. Mais que isso, a árvore da vida significa a ligação entre o divino e o terreno.

E não é muito difícil entender essa simbologia entre sagrado e profano, basta pensarmos que a copa da árvore sempre cresce em direção ao céu, enquanto as raízes se fincam na terra, no “submundo”.

Por perpassar diferentes culturas, a árvore da vida acaba por reter certas particularidades das culturas que representa. Por isso, no post de hoje, te convidamos a desvelar os mistérios por detrás deste símbolo místico nas culturas de diferentes povos. Vem com a gente!

A árvore da vida para a sabedoria popular

Em suma, a árvore da vida, para o ideário popular, significa as diferentes etapas da vida humana. Assim, cada parte constituinte da árvore concentraria em si mesma um significado próprio de progressão.

As raízes fincam-se na terra para a absorção de nutrientes necessários para o desenvolvimento da árvore e para sua estabilidade. Já as ramificações crescem rumo ao céu, em busca de luz.

Mulher com pulseira de prata com pingente da árvore da vida

Assim também é o processo de evolução humana. Perceba que o homem, assim como a copa da árvore, busca evoluir constantemente, mas para tanto precisa passar por alguns obstáculos que poderiam ser representados pela justaposição do emaranhamento dos galhos a fim da ascese de uma vida de luz e sucesso.

Mas, nada disso seria possível sem as raízes que nos sustentam, sem as quais não conseguiríamos mantermo-nos focados, disciplinados e nutridos para correr atrás de nossos objetivos.

Árvore da vida segundo a cabala

No sentido cabalístico, a árvore da vida adquire um sistema hierárquico um tanto quanto ambíguo. Ela se divide em 10 frutos representados por esferas interligadas, que podem simbolizar os estados do universo como estados de consciência.

Sendo assim, do ponto de vista do universo, a árvore da vida é lida de cima para baixo e nos mostra a gênese do mundo, considerando o primeiro motor (causa primeira) Kether – a centelha divina – considerada a esfera mais sutil. Conforme acendemos no caminho do raio, encontramos Malkuth, a matéria mais densa, caracterizada como o último estado das coisas.

Do ponto de vista do homens, partimos de Malkuth (reino material) até chegar a Kether (coroa da criação), o que nos evidencia a evolução dos estados de consciência. Nesse sentido, dentro da cabala hermética, a árvore da vida pode explicar a gênese do mundo e o processo evolutivo do homem.

Árvore da Sabedoria

No budismo, a árvore da vida ganha um novo significado atrelado aos valores da religião. Sendo assim, compreendida como a Árvore da Sabedoria, ela simboliza o processo de iluminação do homem ao alcançar a mais pura consciência de si no processo de Nirvana.

Foi na árvore da sabedoria que Sidharta Gautama alcançou o estado de Buda, tornando-se um dos maiores símbolos da filosofia budista.

Árvore da Vida x Árvore do Conhecimento

Muitos confundem a árvore da vida com a árvore do conhecimento, no entanto, elas são diferentes. Na bíblia, a árvore da vida é caracterizada como a árvore dos bons frutos, dos quais os humanos poderiam usufruir.

Blister com colar da árvore da vida verde

Já a árvore do conhecimento é caracterizada como a árvore do fruto proibido, a qual é obstado o contato humano por Deus. Nesse sentido, a árvore do conhecimento do bem e do mal não poderia ser tocada pela esfera humana, pois, ao comer de seus frutos, o homem se tornaria consciente de valores e princípios morais, perdendo a pureza e inocência.

E o Senhor Deus fez brotar da terra toda a árvore agradável à vista, e boa para comida; e a árvore da vida no meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal.

(Gênesis 2:9)

Árvore da vida nas demais tradições

Atravessando a história, este símbolo universal está no centro de diversas culturas. Vejamos mais alguns de seus significados místicos:

Cultura egípcia

Para os povos egípcios, a árvore da vida estaria aguardando a morte do faraó para que o mesmo pudesse se alimentar no domínio de Rá.

Cultura escandinava

Para os escandinavos, da árvore da vida emergiria em abundância conhecimento e sabedoria.

Cultura persa

Para os persas, quem consome um fruto da árvore da vida – haoma – adquire felicidade, cura e imortalidade.

Cultura chinesa

Para os chineses, a árvore da vida surge a cada três anos, carregada de pêssegos, os quais concederiam imortalidade para aqueles que deles se alimentam.

Cultura Celta

Para os celtas, os monges conseguiriam auxiliar as pessoas a encontrarem o equilíbrio energético através dos poderes da árvore da vida.

Viu só quantas simbologias ricas encontramos por detrás da árvore da vida? Se quer fazer dela o seu amuleto de paz, saúde e vida eterna, além de encontrar neste símbolo sagrado um encorajamento para perpassar os percalços da vida, você pode carregá-lo sempre com você em uma jóia: seja um pingente de um colar ou em um berloque.

O importante é ter a consciência de que, ao portar a árvore da vida, você se abre a imensa sabedoria do universo e aceita todas as fases necessárias pelo seu crescimento, portanto, sinta-se grata pela sua evolução!

Esperamos que tenham gostado do post de hoje.

No vemos semana que vem.

 

 

 

Anterior

Como saber o tamanho do aro do anel que eu uso?

Pulseirismo: o que é e como aderir a essa tendência!

Próximo

Deixe um comentário