Tudo sobre berloques: sua história, seu significado e dicas de coleção!

| |

Alguns dos itens que mais amamos aqui na Céu de Prata são os berloques, e o gosto é compartilhado! Seja pelo design ou pela colecionabilidade, essas pecinhas pequenas (porém cheias de significado) já encantaram uma legião de aficionadas que não os trocam por nada. Cá entre nós: se apaixonar por berloques é fácil! 

Hoje, vamos discutir o que são berloques, quais são suas origens e como seu uso se transformou ao longo do tempo. Nesse processo, vamos salpicando algumas dicas bem interessantes para te ajudar a inserir os acessórios no seu dia a dia. Vem com a gente e confira:

O que são berloques?

No dicionário, berloque quer dizer pingente, penduricalho, enfeite pequeno e delicado que se pendura na corrente de uma pulseira ou relógio. No plural, essa mesma palavra já foi usada como sinônimo de ninharia, objeto de pouco valor, pequeneza. Já deu pra ver que essa expressão mudou bastante ao longo do tempo, o que se explica por sua longa história. 

Pulseira berloque verde

Os berloques de que vamos falar aqui não poderiam estar mais distantes desse último significado citado. São, de fato, pequenos pingentes e enfeites feitos para serem usados em pulseiras, e são comumente produzidos em prata de lei, como os da Céu de Prata. Com o desenvolvimento nos processos de criação e fabricação, ficaram mais e mais sofisticados, transformando-se em peças para a vida toda! 

Em inglês, são chamados de charms, e muito frequentemente exibem temas ou imagens familiares. Essa característica os torna facilmente associáveis aos eventos importantes da vida, como sonhos, aspirações, lugares e pessoas queridas. Por isso, os berloques tem grande importância emocional e afetiva para quem os usa.

O hábito de colecionar berloques ganhou força nos últimos anos, impulsionando um mercado super ativo que traz novidades a todo momento – mas não pensem que essa prática é nova. Os berloques contam com uma história riquíssima e pouco conhecida, com origens bem mais antigas do que muita gente espera!  

A história dos berloques: dos assírios à Rainha Vitória

Enfeitar o corpo com objetos de apreço pessoal ou emocional é uma prática mais que antiga. Na realidade, essa fixação do ser humano com o belo e com a expressão individual é o que nos diferenciou das demais espécies de animais, e foi uma das primeiras demonstrações de racionalidade da história. De certa forma, as jóias e outros enfeites nos fizeram ser quem somos!

Desde os tempos imemoriais, as comunidades primitivas utilizavam amuletos e símbolos de proteção em forma que pequenos pingentes. As peças eram feitas em osso, argila, pedras naturais ou madeira, e só posteriormente passaram a ser confeccionadas em metal. Todos, sem exceção, possuíam um significado importante. 

Os assírios e egípcios, por exemplo, usavam os “berloques” do seu tempo para se identificar depois da morte, posto que acreditavam que seu corpo e itens materiais seriam importantes no pós-vida. Outras culturas também utilizavam peças parecidas para mostrar seu pertencimento a determinado grupo ou tribo, enfatizar seu status social ou laço com outras pessoas.  

Berloque em cima de uma caixinha rosa

Na era moderna, uma das personagens mais importantes da história ocidental ajudou a fazer dos berloques o que são hoje. A Rainha Vitória, do Reino Unido, chamou a atenção por usar berloques específicos para celebrar o nascimento de sua filha e marcar diversos outros aspectos importantes do seu reinado. A peça original está em exibição na Royal Collection e pode ser vista no site oficial!      

Os berloques hoje: pulseira momentos

Hoje, os berloques e o hábito de colecioná-los ganhou tanta popularidade que uma verdadeira comunidade foi criada ao redor deles. Existem diversos grupos virtuais dedicados à troca de informações e inspirações para coleções de charms, e muitas marcas passaram a dedicar linhas inteiras à sua confecção. 

A pulseira momentos, também chamada de pulseira da vida, é o acessório feito para carregar sua coleção. Pensada para inserir berloques, é mais resistente que as pulseiras tradicionais, feitas com correntes comuns. Sua grande proposta é ser um acessório totalmente personalizável, e nenhuma pulseira momentos é igual a outra.    

Mulher segurando berloque em um ambiente claro  

Você pode montar sua pulseira aos poucos, adicionando berloques temáticos a medida em que acontecimentos marcantes se desenrolam em sua vida. Há quem monta uma coleção de uma só vez, escolhendo os pingentes que mais gosta numa tacada só. Há quem tem mais de uma pulseira, e separa seus berloques por temas ou cores. Enfim, não há regras: o que importa é se divertir com a montagem e criar uma peça significativa para você.  

Começando sua pulseira? Conheça as dicas Céu de Prata

Já comprou sua pulseira e está iniciando sua coleção de berloques? Separamos as melhores dicas Céu de Prata para te ajudar na criação de uma peça totalmente exclusiva, com a sua cara. Olha só:

Definir um tema pode ser o empurrãozinho que você precisava:

A gente sabe que essa imensa variedade de pecinhas incríveis pode ser bem confusa e difícil de domar. Se a indecisão estiver te segurando, prefira definir um tema! Viagens, pets ou elementos da natureza são sugestões interessantes. Essa estrutura já elimina grande parte das decisões e te ajuda a iniciar sua coleção. 

Se preferir, seus primeiros berloques podem ser comprados em kits, que já vem combinados e pensados de acordo com um tema ou cor. Lembre-se que não existem regras e seu tema pode mudar com suas novas preferências ou ideias. Ah, é claro: tema nenhum também é tema, e uma pulseira super sortida cheia de tudo que você ama também pode ficar incrível!

Organize seus berloques com harmonia:

Use os separadores para criar uma distribuição harmônica ao longo de toda a pulseira. Não sabe o que é separador? É uma pecinha também feita em prata que pode ou não possuir temas ou designs específicos. Ela não tem penduricalhos, e sua função é criar espaços para que os demais berloques com pingente possam ficar bem posicionados. Existem separadores móveis ou fixos, e vale a pena conhecer cada um. 

Espalhe aos sete ventos que você está montando uma pulseira de berloques:

Está no comecinho da sua pulseira e ainda não tem muitos pingentes? Deixe seus amigos e familiares bem cientes de que você está colecionando berloques e adoraria recebê-los de presente! Berloques são lembranças muito especiais, tanto para quem dá quanto para quem recebe, e com certeza farão parte da lista de melhores opções quando quiserem te presentear. Dê uma forcinha aos menos observadores e toque no assunto!

Esperamos que tenham curtido nossa viagem pelo passado e presente dos berloques. Lembrou de algum outro tema que gostaria de ver por aqui? Solta o verbo na nossa caixinha de comentários! Vamos adorar ver sua contribuição por lá. <3

Procurando por mais conteúdo sobre estilo de vida, moda, cuidados com a prata e todas as novidades da loja? É só seguir o perfil da Céu de Prata no Instagram! Lá a gente interage com nossos clientes e posta fotos lindas dos nossos produtos em ação. Nessa comunidade linda só tá faltando você. 

Nos vemos no próximo post, pessoal. Até!

Anterior

Cristal e Zircônia – Suas características

Saia do básico e surpreenda nos presentes para namorada!

Próximo

Deixe um comentário