Furos na orelha: conheça os diferentes tipos e cuidados necessários

| |

Os furos na orelha vão muito além de uma ação de beleza, empregada na sociedade há bastante tempo, eles são uma forma de expressar os gostos, o estilo da pessoa e de aumentar a sua autoestima. Por isso, desde quando as mães optam – ou não – por fazer os primeiros furos na orelha da criança recém-nascida até a idade adulta, é uma opção da menina ou da mulher e, até mesmo, dos meninos, fazer mais.

Os piercings, desde que surgiram, sempre estiveram em alta e agora mais do que nunca, já que os acessórios estão cada vez mais diversos, combinando com todas as exigências e necessidades. Com eles, uma pessoa pode complementar os looks de maneira única, sendo mais romântica, ousada, despojada e, até mesmo, minimalista.

Você conhece todos os furos da orelha? Bem, se não, o post de hoje é sobre isso! A Céu de Prata apresentará cada um deles, dando dicas de quais acessórios são mais indicados e quais não, além dos cuidados necessários. Ficou interessada? Então, fique ligadinha!

12 tipos de furos na orelha: do mais simples ao mais ousado!

Fazer um furo na orelha não é mais apenas uma prática da sociedade, que começa com o nascimento de uma nova menina, mas um modo de autoexpressão, ideal para o mundo fashion, pois dá aquele glow no visual. Dos brinquinhos mais simples do dia a dia até aqueles piercings cheios de zircônia e com formatos diferentes, não há dúvidas de que esse acessório está com tudo há um bom tempo!

Se você está pensando em fazer novos furos, mas não sabe quais são as opções, está no lugar certo. Vamos conhecer os locais que podem ser colocados brincos e piercings na orelha? Confira:

1. Primeiro furo

Comecemos com o mais conhecido e simples de todos: o primeiro furo. Ele, geralmente, é feito nas meninas recém-nascidas por escolha da mãe e do pai, é uma prática bem comum em alguns locais. É claro que existem hospitais que preferem não fazer, visto que a criança pode correr risco de pegar infecções, porque o sistema imunológico ainda não é bem estruturado.

Ainda, a prática também recebe críticas, visto que a criança não teve a oportunidade de escolher se queria ou não ter o acessório, tirando o fato de que é um incômodo para a bebê, que dificilmente sabe o que acontece nos primeiros dias de vida.

Ele fica localizado no lóbulo da orelha, bem no meio, e, antigamente, era feito com pistolas de pressão. Só que esses aparelhos podem atrapalhar a cicatrização e machucar a pele e a carne, por isso, agora, o furo é feito com agulhas descartáveis, específicas para isso.

2. Segundo furo

Esse também é um furo no lóbulo, um pouco afastado e acima do primeiro. Ter dois furos na orelha já acontece de transformar a aparência e o visual, sabia? Pois é um acessório a mais para incrementar as composições do seu look, assim como também é bem despojado.

Segundo furo na orelha

O mais legal é que ele é totalmente livre, você pode usar um brinco que combine com o do primeiro ou não, além de criar um tema. Por exemplo, se você gosta de estrelas, sol e da lua, pode encontrar modelos assim e usá-los em conjunto. Ou também pode escolher usar um brinco grande ou mais trabalhado no primeiro e apenas um ponto de luz no segundo. A criatividade pode correr solta que tudo fica bom!

Só é importante ter em mente que tem que ser brincos e piercings que podem ser usados juntos, não adianta colocar um enorme no primeiro, que quase tampa o segundo furo, e tentar por outro neste. Fica uma coisa meio destoante, não é?

3. Terceiro furo

O terceiro furo é o último do lóbulo, ainda mais acima do que o segundo, quase chegando à cartilagem. Ele complementa ainda mais a ideia de usar acessórios variados ou fazer por tema. Geralmente, as pessoas optam por colocar brincos menores nele, seguindo a ordem: brinco maior no primeiro, médio no segundo e pequeno no terceiro. Isso ajuda a criar um equilíbrio, evitando ter uma orelha muito “carregada” de acessórios.

Terceiro furo na orelha

Mas isso também é questão de gosto, tem pessoas que usam assim e outras não. A variedade de opções permite que muitas combinações sejam feitas, do maior para o menor, dois pequenos e um grande, enfim…

4. Tragus

Pode-se dizer que esse é um dos mais famosos furos de piercing, as pessoas podem optar por começar por ele depois dos outros furos. O tragus é aquela cartilagem próxima à cavidade do ouvido, aquela que o protege contra os fatores externos. A dor de furá-lo é muito relativa, algumas pessoas dizem que não sentem nada, apenas uma pequena pressão pela agulha, já outras dizem que é muito pior do que os furos do lóbulo.

Tragus pefurado

Vários tipos de piercings podem ser usados, desde que não atrapalhem a higienização na orelha e não machuquem, como o estilo ferradura, captive, barbell e micro barbell e labrets curtos. Até aqueles pontos de luz ficam bonitos. Na hora de escolher um piercing para o tragus, aposte naquele que você acha bonito e que seja prático.

5. Anti tragus

O anti tragus é o contrário do tragus normal. Sabe aquela outra cartilagem bem pequena acima do lóbulo? Ela fica bem próxima também à cavidade do ouvido. Então, é o anti tragus, e não é todo mundo que opta por colocá-lo, mas não deixa de ser uma opção bem estilosa e bonita.

6. Helix

O helix é ainda mais comum que o tragus, uma alternativa para quem deseja dar mais destaque às orelhas, ele é colocado bem na curva da parte superior. Assim como o tragus, a dor de perfurá-lo é relativa, porém, como a área possui mais nervos, pode acontecer de ter muito mais do que uma pressão na hora da agulha passar.

Helix

O modelo mais comum de joia a ser usada ali é a argola, mas não se engane pensando que não poderá usar modelos diferentes! Há diversas opções lindas de argolas, com strass, com bichinhos, com argolinhas menores e pingentes e muitas outras! Mas uma dica que damos é que escolha uma argola sem ser captive, lisa, para não correr o risco de enroscar o cabelo e machucar ainda mais a orelha.

E nunca tire o helix antes de cicatrizado! O risco de inflamar é alto e a dor incomoda muito, tornando-se até difícil voltar a colocar o acessório. Deixe cicatrizar direitinho para depois pensar em trocar de joia.

7. Anti helix

O anti helix segue o mesmo princípio do anti tragus, com a exceção de que fica na cartilagem um pouco acima da cavidade do ouvido. Ali também é um local de cartilagem, bem próximo ao daith. Por ser um espaço um pouco restrito, normalmente, as pessoas optam por colocar uma pedrinha ali ou piercings bem pequenos. É delicado, charmoso e combina com qualquer brinco.

8. Industrial

O tipo industrial vai de uma extremidade da orelha até a outra, logo acima de onde se localiza o helix, também podendo ser chamado de transversal. Ele é bem grande e, às vezes, pode parecer meio amedrontador, mas é um furo como qualquer outro, com a diferença de que será feito um na parte próxima à cabeça e outra da sua extremidade.

As joias precisam ter um comprimento legal, apenas isso, do contrário, é você que decide se deseja um modelo mais simples com as bolinhas de rosca, com strass e outros. Ele também precisa de cuidados para não inflamar, ainda mais porque precisa de duas perfurações.

9. Daith

Essa perfuração fica próxima ao tragus, é a cartilagem que faz a curva interna da orelha, um pedacinho bem pequeno, mais largo em algumas pessoas e mais curto em outras. Esse piercing tem ficado bem famoso nos últimos tempos porque o ponto em que se localiza pode ajudar muito as pessoas que têm dores de cabeça fortes e enxaquecas. Apesar disso, ainda não há comprovações científicas, mas alguns relatos dizem que ajudam, mesmo que não totalmente.

De qualquer forma, uma joia ali fica super bacana também, podendo combinar com o tragus. Ali, captives e argolinhas ficam ótimos, ainda mais se tiver uma pedrinha como ponto de luz, formatos de bichinhos e outras coisas. Assim como os outros das cartilagens, pode doer em alguns e em outros não.

10. Conch

Esse tipo é aquele que é feito na cartilagem interna da orelha, como é um local um pouco complicado de ter uma tarraxa ou fecho atrás, pelo pouco espaço, as pessoas preferem usar argolas, que são escolhidas justamente para não enroscar na roupa de cama ou no cabelo. Lisas ou com zircônias, a orelha fica bem estilosa e exclusiva. Já imaginou que lindos ficarão os outros piercings com um conch? Muito fashion!

Conch

11. Snug

Esse modelo fica entre a cartilagem interna e a externa da orelha, naquele espacinho que faz uma pequena dobra. Assim como o conch, tem virado um dos favoritos das pessoas que gostam de estar alinhadas com as tendências. Nessa parte, o ideal é escolher um modelo de piercing bem delicadinho para não ficar muita informação na orelha.

12. Rook

O piercing rook é um dos menos comuns, já que nem todas as pessoas têm o mesmo formato de orelha. Alguns têm cartilagens maiores, outras menores, outras nem aparecem. Ele fica logo acima da curva do daith, em outra parte de cartilagem que tem curva. Além disso, quem tem uma joia no rook não consegue colocar no daith, pois o espaço é muito pequeno entre um e outro, elas podem acabar se enroscando e machucando a orelha.

São muitas opções, não é? Mas mais importante do que escolher a joia que vai utilizar e o local para furar, é saber quais são os cuidados necessários.

Cuidados essenciais após furos na orelha

Cada body piercing tem uma instrução específica, mas, basicamente, elas se fundamentam em limpar bem e evitar mexer. Essa última é super essencial, ainda mais porque é a que mais pode causar inflamações e o surgimento de queloides, já que a mão é cheia de bactérias.

Na hora de limpar o furo, deve-se lavar bem as mãos com água corrente e sabão neutro para, só depois, pegar o essencial para desinfetar e tirar aqueles resíduos de sangue ou pequenas sujeirinhas que podem acumular. Os produtos mais comuns indicados são:

  • soro fisiológico;
  • álcool 70% (menos indicado porque resseca a pele e atrapalha a cicatrização);
  • salmoura;
  • cotonetes para alcançar o furo.

Cada profissional pode dar a indicação de qualquer um desses, mas soro fisiológico ou só água e sabão neutros já são o suficiente. A ideia é fazer uma ou, no máximo, duas limpezas por dia, porque, caso essa higienização seja exagerada, a perfuração fica sempre úmida e demora ainda mais para cicatrizar ou pode acabar inflamando.

O ideal é evitar mexer, mesmo quando está coçando, pelo que já foi citado, a mão é cheia de bactérias e pode deixar o espaço inflamado. Se a dor da perfuração pode ser forte, o incômodo de um furo infeccionado é muito maior.

Além disso, nos primeiros dias, é bom evitar deitar com a cabeça em cima da orelha furada, tanto pela dor quanto por ter o risco de machucar ainda mais a perfuração ou enroscar no cabelo e na fronha do travesseiro. A sensação é ruim e pode causar ardência, então é uma boa ideia não colocar esse tipo de pressão.

No mais tardar, é isso, ter todo o cuidado. Colocar um piercing pode se tornar viciante, ainda mais quando se tem tantos modelos lindos para usar. Criar combinações é divertido e ajuda a deixar a autoestima ainda mais alta.

Dicas de combinações para os piercings: estilo, charme e muita personalidade!

Depois de conhecer os tipos de joias para os furos na orelha e os cuidados essenciais, o que acha de ter algumas dicas para te ajudar na hora da compra desses acessórios? Como já dito, você pode optar tanto por opções temáticas e que combinam ou colocar um diferente do outro.

Quem tem dois furos na orelha ou três, no lóbulo mais especificamente, pode optar por comprar aqueles kits de brincos. Tem opções que vem com dois, três ou mais, e você escolhe o que achar mais bonito e que combinar com a sua personalidade. Há peças com flores, corações, bichinhos, de cruz, pontos de luz e muito mais, a variedade é incrível!

Ainda, se o seu estiver cicatrizando ou você já deseja deixar os próximos brincos separados, o que acha de comprar um kit da semana? Eles vêm com brincos de domingo a domingo para que use um por dia, mas nada impede que pegue mais alguns da cartela para criar os looks, não é?

Os modelos de prata com pedras também são super charmosos, você pode escolher um maior para o primeiro furo e outros pequenos ou médios para os segundos e terceiros. Florais, de coração, com animais, apenas zircônias ou qualquer outro modelo ficará muito estiloso.

E nada impede que seja mais ousada e coloque aquela argola que tanto adora no primeiro furo e modelos diferentes nos outros, não acha? O importante é encontrar a combinação que te agrada e vai aumentar a sua autoestima, complementando qualquer look que deseje.

Caso ainda não esteja totalmente preparada para fazer mais perfurações, você pode optar por usar o ear cuff e o piercing fake, eles darão uma boa visão sobre como sua orelha pode ficar com novos acessórios.

Bem, chegamos ao fim de um post super informativo. O que achou? É possível fazer vários furos na orelha, tantos que fica difícil escolher quais ou o tipo da vez. Você gostou das dicas? Sempre temos conteúdos cheios de sugestões sobre acessórios e muito mais, então, para não perder nada, acompanhe nosso blog toda semana. Até!

Anterior

Anel de casamento e anel de noivado: qual mão usar? Conheça a tradição

Mix de anéis: saiba como montar de forma fácil e estilosa!

Próximo

Deixe um comentário